quinta-feira, agosto 25, 2016

Ame!


Mesmo o desconhecido, ame!
Mesmo que não seja acolhido, ame!
Mesmo que maltratado, ame!
Mesmo que ferido, ame!
Mesmo ainda dolorido, ame!
Mesmo sentido-se traído, ame!
Mesmo estando crucificado, ame!
Pois Ele nos amou primeiro!
Isso mesmo, Jesus Cristo!
Cf. 1Jo 4,19

sexta-feira, agosto 05, 2016

Comunicar o testemunho construído na Misericórdia

O reino será alcançado pela misericórdia, essa foi uma das mensagens que Jesus veio nos comunicar e ordenou que anunciássemos para todo o mundo (Mc 16,15). A ascensão é nitidamente a completude do que Jesus mostrou como caminho para seus seguidores e todos estaremos, se seguirmos seus passos, um dia, com Ele nos céus (Mt 19,28). No entanto, é necessário cumprir seus ensinamentos, assumir a missão e ser testemunhas.

Os apóstolos foram “formados, preparados, fortalecidos” para a grande missão de evangelizar todo o mundo, anunciar a misericórdia do Pai e testemunhar com a vida. Passaram mais de 3 anos com o Senhor, O viram ressuscitado, andaram com Ele, antes e depois da crucificação. Os Santos deram e dão esses testemunhos nas mais diversas realidades. Nós homens e mulheres, desse tempo, andamos com Jesus através da Santa Igreja, seu corpo, vivemos com o Senhor em sua palavra, apreendemos saberes na tradição dos santos apóstolos, recebemos Jesus Eucarístico continuadamente para comunicar através da vida. Assim, temos a luz necessária para nossa peregrinação e para auxiliar muitos.

A humanidade precisa de luz para seu caminho, a verdade deve ser mostrada para ser seguida. Assim, Jesus que encontramos continuamente e conhecemos precisa ser anunciado! O viver em Jesus, nesse tempo, precisa ser apresentado! O santo padre Francisco em sua mensagem para o dia das comunicações veio pedir essa ação frutuosa da comunicação para o mundo. Seja no meio que for, para muitas ou apenas uma pessoa, leigo ou ordenado é necessário ser fecundo! Todos os atos são comunicação, são testemunho, “O amor, por sua natureza, é comunicação”. Os nossos atos precisam ser de amor.

Não foram poucos os momentos em que Jesus disse aos discípulos que eles ficariam responsáveis por expor e levar essa misericórdia, esse amor para o mundo, pela disseminação da boa nova em toda a terra. Chega a ser engraçado os momentos em que São Pedro não entende as indicações de Jesus, momentos que nós, eu e você, também vivemos quando entendemos que a missão é “grande ou complicada demais para nós”. Jesus nos fala, que estará com o Pai intercedendo por todos nós, enviar o paráclito é a promessa dEle, e com o poder do alto vamos cumprir a nossa missão, o nosso chamado, viver a nossa vida. Receber continuamente o Espírito de Santo é a condição primordial.

Comunicar, anunciar, proclamar, fazer memória, tornar comum e de conhecimento de todos as obras de Jesus, as ações do Espírito Santo, a Misericórdia do Pai é o que forma a Santa Igreja, é o que ela é, testemunhar o que nós somos, somos puro testemunho de uma vida no Espírito Santo. O conhecer, reconhecer Jesus, apreender seus ensinamentos, cumprir suas ordens através da Santa Igreja são fases anteriores e condicionais para O encontrar nos céus.

Os grupos de oração são uma prova autêntica e contemporânea que essas práticas podem ser realizadas. Em todo o planeta os grupos acontecem, seus participantes fazem como os primeiros cristãos, encontram-se continuamente e levam essa experiência para os demais homens e mulheres. Neles, encontramos pessoas simples, intelectuais, universitários, religiosos, todos com uma visão espiritual para a edificação da civilização do amor. Nós fazemos o que o Santo Padre pede, comunicamos o amor.

Airton Rocha

Texto veiculado pela RCCBRASIL em 08 de maio de 2016 em virtude do dia mundial das comunicações sociais.
http://www.rccbrasil.org.br/espiritualidade-e-formacao/mais-lidas-especial/1595-comunicar-o-testemunho-construido-na-misericordia.html

quarta-feira, junho 15, 2016

Estudo mostra como marcas devem interagir com os Millennials

A matéria abaixo foi publicada no Adnews e republicada na Exame.
Considero muito interessante o texto por fazer referência exclusiva à realidade Brasileira, mesmo que singela. Vemos muitas pessoas aplicarem conceitos de pesquisas realizadas em outros países sem fazer a consideração do cenário local.

A impaciência e a conectividade com diferentes canais de tecnologia são marcas do comportamento da nova geração conhecida como “millennials” (pessoas entre 25 e 34 anos).

A constatação é da pesquisa Connected Life 2016, estudo da TNS Brasil realizado com mais de 60 mil consumidores conectados ao redor de 50 países.

Os millennials querem cada vez mais simplificar o processo e acelerar as respostas - 10 minutos é o tempo que julgam suficiente para ter uma resposta quando interagem com alguma marca, por exemplo. Respeito com o consumidor também é um valor importante para essa geração.

É no mundo digital onde as diferenças de comportamento entre as gerações são extremas. Considerando que a população brasileira está envelhecendo, os protagonistas passam a ser as gerações “millennials” e “Z”.

De modo geral, o tempo de conexão dos brasileiros é um pouco acima da média da América Latina, sobretudo conexão via PC/Laptop (2,9 horas contra 2,5 horas por dia). Nesse sentido, saem na frente aquelas marcas que estão interagindo no meio digital, especificamente via celular.

Onde existem oportunidades de engajamento?

De acordo com o estudo, entre os pesquisados há claramente um compartilhamento de atenção entre TV e rede social em horário nobre. Quanto mais jovens, maior é o compartilhamento TV e redes sociais, e essa premissa se estende bem como a conversão em compras.

Em relação ao uso das redes sociais, WhatsApp e Facebook acessados pelo celular lideram o uso diário em todas as faixas etárias. Como esperado, a geração Millennials e geração Z interagem com maior número de plataformas: WhatsApp, Facebook, Facebook Messenger, YouTube, Instagram e Google+. Deste modo, as marcas devem priorizar plataformas sociais de mensagens instantâneas para se aproximarem dos consumidores dessa geração.

Existe, no entanto, um paradoxo. Conforme cresce a conectividade, os usuários passam mais tempo online, e alcançá-los em meio à quantidade de informação parece ser mais difícil do que nunca.

A recomendação que surge a partir do estudo é que as marcas encontrem a combinação certa de canais e desenvolvam formatos diferenciados de comunicação para cada meio.

Os direitos da créditos são de Adnews

sexta-feira, abril 22, 2016

Somos limitados ou fomos limitados?

Imaginemos, a seguinte situação, tempos atrás:

"Vendedores de livros"
Vocês estão lendo muitos livros!
Vamos limitar a quantidade de linhas que vocês leem por dia, se passar vocês vão pagar novamente, por cada linha lida!

"Vendedores de aparelhos de rádio"
Vocês estão passando muito tempo ouvindo rádio e muitas emissoras diferentes!
Vamos limitar a quantidade de horas que vocês podem ouvir por dia, se passar vocês vão pagar novamente, por cada hora lida!

"Vendedores de aparelhos de tv"
Vocês estão passando muito tempo vendo tv e passando por muitos canais!
Vamos limitar a quantidade de canais que vocês podem ver por dia e o tempo que fica nos canais, se passar do limite vocês vão pagar novamente, por cada hora vista e por cada canal selecionado!

Nem ética, nem moral, nem lógica e muito menos comercialmente correta, é essa limitação de banda! Tem lugar no mundo que estão colocando internet grátis e sem limites, nas ruas! As operadoras aqui no Brasil querem dar limite para os usuários.
Já passou do tempo de ter limite na conexão via celular! Deveria ser sem limites no celular também.
Temos mais de 3 operadoras, com a justificativa de aumentar a concorrência e melhorar o serviço! Mas cadê?

quarta-feira, janeiro 06, 2016

Qual o lugar certo das Redes Sociais e da Oração?

Se você tem um smartphone, com certeza já deve ter visto suas atualizações antes de ler esse artigo. Snap, Insta,Whats, Face... Todos esses aplicativos sociais já são tratados não por seus nomes de origem, mas por esses apelidos quase que íntimos. De fato, as redes sociais tornaram-se o principal ambiente de socialização de hoje, principalmente entre os jovens, como já nos ensinava o papa emérito Bento XVI, em sua carta para o Dia Mundial das Comunicações de 2013. Agora a pergunta é: você já teve o seu encontro pessoal com Jesus Cristo, hoje? Já suplicou ao Senhor o batismo no Espírito Santo para sua vida e sua família? Já alimentou a sua alma com a Eucaristia e a Palavra de Deus?


Certa vez ouvi do ex-presidente da RCCBRASIL, Marcos Volcan, em uma pregação durante o Encontro Nacional de Formação de 2008, em Brasília: “Nós cristãos acordamos e não fazemos mais o Sinal da Cruz. Temos nos levantado e deitado como pagãos!”. Infelizmente, para muitos cristãos, essa realidade “evoluiu”. Não se trata mais de esquecer de fazer o Sinal da Cruz, mas do primeiro pensamento do dia ser dedicado a essas redes e não a Deus. Em seu cotidiano, o que você faz primeiro ao acordar? Vê as atualizações no smartphone ou conversa com o Senhor?


Muitas pessoas procuram o sacerdote para pedir um conselho sobre como orar. Reclamam que se distraem muito na oração e, por isso, a abandonam, não perseveram. As causas para essas dificuldades podem ser muitas, mas com certeza entre elas poderá estar o tempo gasto com as redes sociais. Quando Deus libertou Israel da escravidão, Ele deixou o seguinte mandamento: “Ouve, ó Israel! O Senhor, nosso Deus, é o único Senhor. Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todas as tuas forças. Os mandamentos que hoje te dou serão gravados no teu coração. Tu os inculcarás a teus filhos, e deles falarás, seja sentado em tua casa, seja andando pelo caminho, ao te deitares e ao te levantares” (Dt 6,4-7). A Palavra de Deus tem essa força agregadora na espiritualidade, mas tem sido deixada de lado porque não se tem mais tempo para meditá-la! Será realmente que você não tem tempo para a oração, para a Palavra de Deus? Quanto tempo, ao longo de todo o dia, você dedica a dar uma “espiadinha” nas redes?


A situação se agrava à noite. O momento do descanso do corpo, da mente e da alma é bombardeado pelos estímulos da luminosidade da tela do smartphone e, mais ainda, do conteúdo ali presente. O quão perto estamos de ser como a pessoa que compôs o seguinte Salmo: “De noite, lembro-me, Senhor, de vosso nome; guardarei a vossa lei. Escolhi, como parte que me toca, observar vossos preceitos. Minha partilha, Senhor, eu o declaro, é guardar as vossas palavras” (Sl 118,55-57)? O quanto o nosso repouso seria melhor e mais saudável se o último pensamento antes de dormir fosse direcionado a Deus!


As redes sociais, comprovadamente, podem se tornar uma espécie de vício. Os mestres da espiritualidade têm uma dica preciosa para nos ajudar a nos livrarmos desse mal, que podemos adaptar a esse contexto: ao se deitar, desligue as notificações das suas redes sociais. Faça sua prece noturna e, ao fechar os olhos, pense em uma verdade da Fé (contida no Creio), ou em alguma virtude, ou em algum Santo ou a Virgem Maria. Fixe seu pensamento nisso até adormecer. Quando acordar, faça o Sinal da Cruz e, na prece matinal, medite sobre aquele assunto. Somente após render seu louvor a Deus e pedir a graça do Espírito Santo para o seu dia atualize suas redes sociais.


Veja bem: as redes sociais fazem parte dos instrumentos maravilhosos que o Senhor colocou à disposição do homem (cf. beato papa Paulo VI,Evangelii Nuntiandi). Não se trata de excluí-las, mas de colocá-las em seu devido lugar e termos a graça de seguir os ensinamentos do Apóstolo Paulo: “Orai sem cessar. Em todas as circunstâncias, dai graças, porque esta é a vosso respeito a vontade de Deus em Jesus Cristo. Não extingais o Espírito” (1Ts 5,17-19).


Padre João Paulo Veloso
Coordenador Nacional do Ministério Cristo Sacerdote - RCC Brasil

Fonte: www.rccbrasil.org.br

quinta-feira, setembro 13, 2012

Apresentação de: CIBERTEOLOGIA. Pensar o Cristianismo nos tempos da rede


Apresentação: Programas de busca, smartphone, aplicativos, rede social: as recentes tecnologias digitais invadiram com força nosso cotidiano. Entretanto, não apenas como instrumentos externos a serem usados para simplificar a comunicação e a relação com o mundo; na verdade, desenharam um espaço antropológico novo que está mudando nosso modo de pensar, de conhecer a realidade e de manter relações humanas.

A essa altura, o autor, Antonio Spadaro, se pergunta, e nos pergunta também: a revolução digital influencia de alguma forma nossa fé? Será que não se deveria começar a refletir sobre como o cristianismo deva ser pensado e falado neste novo cenário humano? Talvez seja hora de considerar a possibilidade de uma “ciberteologia” entendida como inteligência da fé (intellectus fidei) nos tempos da rede. Não se trata, porém, de simplesmente procurar na rede novos instrumentos para a evangelização, ou fazer uma reflexão sociológica a respeito da religiosidade na internet. Ao contrário – e aqui está a novidade pioneira de Spadaro –, tratase de encontrar os pontos de contato e de interação produtiva entre a rede e o pensamento cristão. A lógica da rede, com suas poderosas metáforas, proporciona ocasiões inéditas para nossa capacidade de falar de comunhão, dom, transcendência. E, por sua vez, o pensamento teológico pode ajudar o homem na rede a encontrar novos caminhos em sua trajetória para Deus.

É um território ainda inexplorado que Spadaro aborda com um indiscutível conhecimento teológico e grande competência técnica, principalmente com o espírito de confiança na capacidade de o cristianismo e a Igreja estarem presentes onde o homem desenvolve sua capacidade de conhecimento e relacionamento. A rede é um contexto em que a fé é chamada a se exprimir não por causa de uma mera “vontade de presença”, mas uma conaturalidade do cristianismo com a vida do ser humano. O desafio, portanto, não está em como “usar” bem a rede, mas como “viver” bem nos tempos da rede.

Antonio Spadaro, padre jesuíta, é diretor da revista La Civiltá Cattolica e professor na Pontifícia Universida- de Gregoriana, na qual obteve seu doutorado em Teologia; consultor do Pontifício Conselho da Cultura e do Pontifício Conselho das Comunica- ções Sociais; e autor de muitas obras sobre cultura contemporânea e de ensaios sobre a internet. Em janeiro de 2011 criou o blog Cyberteologia.it (prêmio WeCa 2012), que mantém até hoje.

Fonte: Perfil no facebook de Antonio Spadaro SJ, Quarta, 12 de Setembro de 2012 às 19:00 ·

terça-feira, agosto 28, 2012

Tarde te amei;


Tarde te amei;
ó beleza antiga e tão nova, tarde te amei!...
Estavas dentro de mim, e eu, voltado para fora, procurava as formas belas das tuas criaturas.

Estavas comigo, mas eu não estava contigo.

Assim, longe de ti me detinham as criaturas que nada seriam, se em ti não existissem.

Tu me chamaste, e teu grito foi maior que minha surdez; tu brilhaste, e tua luz venceu minha cegueira; espalhaste teu perfume,
que eu senti, e agora te desejo; provei do teu sabor, agora tenho fome e sede de ti; tu me tocaste, agora em mim arde o desejo da tua paz.

Santo Agostinho

sexta-feira, junho 01, 2012

segunda-feira, abril 09, 2012

5 anos mudaram tudo

O documentário "O que mudou nos últimos 5 anos" foi realizado pela HOTWords e tem como tema as grandes transformações vividas pelo mercado da comunicação nos últimos 5 anos. Fazendo assim uma retrospectiva e uma análise dos principais acontecimentos dessa revolução tecnológica, a partir das entrevistas de personalidades envolvidas nesse mercado.

sexta-feira, março 30, 2012

Sacerdotes na Redes Sociais



Oito mil contatos recebem a Palavra de Deus


O padre Dalton Xavier Reyes Martínez, da Associação Sacerdotal Servos do Espírito Santo, na Colômbia, realiza uma singular missão evangelizadora através das redes sociais, especialmente no Facebook, onde tem cerca de oito mil amigos. Toda quinta-feira ele celebra a Eucaristia para os seus contatos.


“Dou testemunho das bênçãos que recebemos através destes meios”, declara o pe. Dalton.


Como começou a sua experiência nas redes sociais?

- Padre Danton: Bom, a minha experiência nesses meios começou com a minha primeira conta no Hotmail. Eu fui explorando a facilidade que o uso do e-mail me dava para ficar em contato com pessoas de vários lugares, e, em pouco tempo, comecei a receber correspondência de muita gente pedindo conselhos, orações de intercessão, informação e formação. As contas do Hotmail tinham pouca capacidade naquela época, e eu tive que criar outra. Coloquei o nome de CARTERO2000, cartero por causa das cartas que eu recebia e 2000 por causa do chamado que o papa estava nos fazendo para o novo milênio.


Qual foi o resultado?


- Padre Dalton: Conheci mais pessoas, algumas que até hoje não encontrei pessoalmente. Com a chegada do Facebook, a rede se abriu muito mais e eu decidi compartilhar a minha vida de sacerdote, mensagens, fotos das missões, fotos cotidianas da paróquia… E então chegaram amigos de diferentes lugares. Eu consegui ajudar espiritualmente, com conselhos, oração, ensinamentos, compartilhei experiências com jovens que receberam o chamado vocacional, casais em dificuldades, namorados, famílias, doentes, consegui ter acesso a pessoas que procuravam informações.


Quantas pessoas recebem as suas mensagens?


- Padre Dalton: A resposta foi tão boa que a minha conta no Facebook chegou ao limite de 5.000 contatos. Tive que abrir outra no ano passado e já tenho quase 3.000 novos contatos, desde novembro. Enfim, levar a Palavra de Deus para esses grupos tem sido uma experiência maravilhosa.


Qual foi a sua última experiência?


- Padre Dalton: Faz uns quantos dias, na oração, me veio à mente celebrar uma eucaristia por todos os amigos que eu tenho no Facebook, no Twitter, no Skype, nos e-mails e no BlackBerry. Publiquei a ideia e marquei a quinta-feira como o dia de oração por eles. Imediatamente chegaram intenções de todo lado! Em menos de uma hora, chegaram 100 pedidos. No total, eu calculo que foram cerca de 500 intenções ou mais. Fiquei impressionado.


Fonte: http://www.catecismojovem.com.br/artigos/sacerdotes-na-redes-sociais/

segunda-feira, março 05, 2012

O Sagrado Ciêntifico - Uma Citação

(...) há de se estar aberto para deixar-se tocar pelo sagrado. Quem o estiver – e minhas reflexões pretendem ser um estímulo para isto – verá que isso lhe há de trazer um grande enriquecimento para a sua vida. Com isto, ele estará satisfazendo um anseio que é parte essencial da natureza de todo homem. (...) Na experiência do sagrado, eu entro em contato com um mundo que não conheço a não ser através da imaginação. Jamais o hei de ver – pelos menos enquanto estiver vivo. Jamais o poderei tocar. E, no entanto, ele existe (MULLER, 2004. p. 9 – 25)."

quarta-feira, fevereiro 29, 2012

Conversão

Pensemos em uma situação ideal:
Onde estivessemos no vácuo, em um local sem atrito, sem nada aos lados que pudéssemos tocar.
Como nos moveríamos?
Somente sairiamos do local se jogassemos fora algo!
E ainda mais na direção contrária à que queremos ir.
Então precisamos deixar algum "peso, medo ou receiro" para que esses mesmos, nos impulsionem para longe, para o lado certo, para o contrário do rejeitado,  uma conversão!

Deus já nos dá o sEu Espírito para entendermos o que jogar fora, mas precisamos, jogar, para sair do lugar!

segunda-feira, janeiro 16, 2012

Católico Apostólico Romano

 “(…) nos momentos de glória e beleza da vida da Igreja (como, por exemplo, no sepultamento de João Paulo II) é fácil estufar o peito e declarar-se católico. O católico verdadeiro, o verdadeiro filho da Igreja, é aquele que nos momentos de dor e de escândalo, quando a Igreja é apedrejada, chora com sua Mãe católica, crava os olhos em Cristo, reza e permanece fiel. Para este, vale a palavra do Salvador: “Fostes vós que permanecestes comigo em todas as minhas tribulações!” Nunca esqueçamos: o mundo não está preocupado com o bem da Igreja ou das vítimas da pedofilia, mas com o escândalo, o sensacionalismo e a imposição hipócrita do politicamente correto. E só!”
Dom Henrique Soares

quarta-feira, agosto 17, 2011

Unção de Vida Nova



O Anjo visita
Entre o olhar
Anuncia;

O sorisso
A luz
A graça.

Aqui estou
Ao Pai pediu?
Enviou-me.

Consagrou-te à unção
Derrama sobre,
Sangue e Água,
Em sua fronte,
Santo óleo.

Ungindo-te,
Enviados,
Clamados.

Servo amado,
Guardo e governo.

Louve
Sirva
Clame
Ame

Jamais só.

O Coração, serve e anda.
Os olhos brilham.
A mente responde.
O corpo emana.
Unção.

Santo Espirito
Preenche-o.

Guarda e adora.
Chora
Canta
Ama
Ora
Sente
Serve
Discerne
Anda

Lute, louve, ame.

Brasileiro Rocha

quinta-feira, agosto 04, 2011

Amor onde o vi

Ele, ele mesmo
O vi, o senti
Onde nele cruzado
Transpaçado o entendimento
Dilacerada a caridade
Marginalizado em comunidade

Predominate como ar
Poluido, evenedado e desfigurado

Ele, ele mesmo
Confinado a não amar
Ou mesmo, não falar
Não andarilho estar

Pede, renova
Sempre doa
Por mim, amar-me
Em mim, sondar-me
Contigo luta
Conosco vence

Hoje te vi
Sempre em mim
Evidente em nós

Amor, ele mesmo
O nosso amor.

Brasileiro Rocha

segunda-feira, julho 25, 2011

Aceitar o acerto

O aceito em via de regra não é um acerto, não somente por um detalhe.

O acerto depende de quando não aceitamos o que não nos deixa feliz.

O acerto para ser aceito, precisa nos deixar feliz, durante um grande espaço de tempo, de preferência a vida quase toda.

Acertar o que por ventura aceitamos errar.

Aceitar o que precisamos acertar.

Acertar na felicidade é aceitar o nosso acerto, mesmo que ele não tenha sido aceito.

Quando apenas ...

Quando apenas vemos, entendemos diferente do que é.
Quando apenas ouvimos, entendemos diferente do que é.
Quando apenas sentimos, entendemos diferente do que é.

Quando vemos, ouvimos e sentimos, apenas, pensamos aquilo que queremos.

Quando pensamos, juntamos o que ouvimos, sentimos, vemos e entendemos como queremos.

No entanto quando vemos, ouvimos, sentimos, pensamos e oramos, entendemos também o que os outros entendem.

Brasileiro Rocha

segunda-feira, junho 06, 2011

Vendo e não percebendo!


Em frente e ao lado
Está a mesma frente.

Ao lado dessa frente,
Existe outra frente,
No entanto a de outro lado.

Tão rápido,
Tão próximo,
Mas bastante distantes!

Mais do que próximo,
Menos do que o necessário,
Sentimo-nos distantes.

Não nos vemos!
Não nos sentimos!

Mas ainda sim nos conhecemos,

Frente, Lado, Dentro e Fora.

sexta-feira, maio 20, 2011

Distância

Fazedora de emoções
Quem mais controla corações
Pode ser de uma parede
Ou de grande localização.

Mas nem sempre intercede
Em grandes paixões.

Mas a única distancia que não
Gostaria de sentir e a distância de seu mundo
Seu grandioso mundo

Que não consigo conquista-lo

Com outras distâncias me contento então.

Brasileiro Rocha

quinta-feira, setembro 09, 2010

Sorte e Morte

Início e fim
Não do mesmo
Mas dos contrários.
Dos devaneios a sorte
Da razão a morte.
De todos os operários
Locados no esmo
Dentro de mim.

A falência verdadeira
Onde a chama habita
Alimentada pelo amor.
Queima-se e conduz
Não também seduz
Transforma o temor.
Em nossa mente debita
A dúvida mais que derradeira

Devemos viver
Precisaremos ter
E podemos querer
Sem temer

Ser um novo ser
Amar um novo amor

Sorteei a morte
E com ela ando
Nela hoje mando
Sei que ainda sou forte
Olhando-te entendo seu porte
Sinto o comando
Penso, sonhando

Viva em minha sorte.
Entenda a morte
Como a nossa sorte
Tenha-me como suporte.